CBS, IBS E IS: Os novos impostos da Reforma Tributária

Bruna Zanetti

A Reforma Tributária aprovada na Câmara dos Deputados, é uma proposta de emenda à Constituição, a (PEC 45/19), que altera substancialmente a tributação sobre o consumo, substituindo cinco tributos existentes por dois novos tributos. Baseado na metodologia do Imposto sobre o Valor Agregado (IVA), o objetivo é simplificar o sistema tributário, reduzir as distorções e aumentar a transparência ao consumidor.

O que é o IVA? 

O IVA é uma modalidade de cobrança de impostos utilizada por mais de 170 países, que tem como objetivo unificar tributos sobre o consumo. Essa modalidade é considerada moderna, pois na maioria dos países em que é usado tem poucas alíquotas. Diferente do sistema tributário atual, em que temos milhares de alíquotas para serem analisadas e monitoradas. 

Fluxograma de impostos atuais

Três dos tributos a serem extintos são federais: o Programa de Integração Social (PIS), Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins) e o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI). Esses tributos serão unificados pela Contribuição sobre Bens e Serviços (CBS), a ser arrecadada pela União. 

Fonte: Metrópoles

Outros dois impostos que serão substituídos são: o Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), administrado pelos estados; e o Imposto sobre Serviços (ISS), arrecadado pelos municípios. Em troca, será criado um Imposto sobre Bens e Serviços (IBS)


O que é o Imposto Seletivo que será criado?

O Imposto Seletivo (IS) será uma taxa extra aplicada a determinados produtos que são considerados nocivos à saúde ou ao meio ambiente, como agrotóxicos, cigarros, bebidas alcoólicas. As alíquotas ainda não foram definidas e devem ser determinadas por meio de Lei Complementar vinda do Executivo. De certa forma, o IPI que incide hoje sobre esses produtos já é superior ao que se aplica a outros bens. Também poderá ser utilizado para manter a competitividade da Zona Franca de Manaus, alcançando produtos que sejam industrializados fora dessa região. 

Importante ressaltar que o IS compõe a base de cálculo do IBS e CBS e do ICMS E ISS durante a fase de transição. 

Caso aprovada em definitivo, a transição dos tributos antigos para os novos começará em 2026, quando os dois tributos serão criados com uma alíquota de 0,9% e 0,1% para CBS e IBS. A partir de 2027, entrará em vigor a CBS com alíquota a ser definida, sendo extintos PIS/Pasep e Cofins.  

Por isso, é de extrema importância se manter informado e atento a toda movimentação acerca desse tema.
Inscreva-se em nossa newsletter e receba materiais exclusivos! 

1 Comment

  1. Rodrigo Lima
    julho 26, 2023

    Incrivel conteúdo!

Deixe um comentário

Artigos relacionados

Cashback Tributário: Entenda a proposta de devolução de imposto

A Reforma Tributária é um dos temas mais discutidos no Congresso Nacional, e entre suas propostas está o sistema de…

Continuar leitura

Aumento do ICMS para 2024: Os impatos da Reforma Tributária

Recentemente, o aumento das alíquotas do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) em dezesseis estados e no Distrito…

Continuar leitura

Reforma Tributária: O que muda após a votação ?

A Reforma Tributária é um tema que segue sendo de extrema relevância para o Brasil e tem sido debatida em…

Continuar leitura

Conheça o Tributei

Veja como podemos te ajudar a economizar 97% do tempo gasto com cálculo manual de ICMS-ST e DIFAL das notas fiscais de entrada
Arrow-up